sábado, 3 de novembro de 2012

Acidente na Via Lagos mata seis carbonizados



                                         
                                                                 o que sobrou do carro
O movimento é tranquilo na Via Lagos na manhã deste sábado (3). Na noite desta sexta-feira (2) um ônibus se envolveu em um acidente com um carro, onde seis pessoas morreram e sete ficaram feridas, segundo Polícia Rodoviária Estadual. A colisão aconteceu na altura do km 17, na localidade conhecida como Engenho Castelo, em Rio Bonito, interior do Rio de Janeiro, por volta das 21h30.
O ônibus totalmente queimado ficou atravessado na pista, embaixo dele, o carro, um astra que se transformou em um monte de ferro retorcido. Funcionários da concessionária que administra a Via Lagos e o Corpo de Bombeiros tiveram muito trabalho para liberar a rodovia que ficou com o trânsito prejudicado por mais de três horas.
Segundo a Polícia Rodoviária, estava chovendo e o motorista do carro perdeu o controle da direção, depois de atropelar uma mulher e bateu no ônibus da 1001 que vinha no sentido contrário. Imediatamente, o incêndio começou.
O motorista e os passageiros do ônibus conseguiram sair antes que o fogo se alastrasse, mas quem estava no carro ficou preso nas ferragens e não conseguiu escapar das chamas. As cinco pessoas, entre elas, duas crianças, morreram carbonizadas.
A mulher atropelada chegou a ser socorrida, mas também morreu a caminho do hospital. O motorista do ônibus e seis passageiros tiveram ferimentos leves e foram levados para as unidades de pronto atendimento de Araruama e Rio Bonito. A ocorrência foi registrada na 119ª DP (Rio Bonito). 

5 comentários:

  1. Segundo consta das obrigações contratuais da CCR Via Lagos, a obra para colocação de muretas é prevista somente para quando a rodovia atingir o fluxo médio de 20 mil veículos/dia. Fica a pergunta: Quem mede isso? A própria CCR?

    A Lei Federal nº 8.987/98 dispõe em seu art. 6º que “toda concessão ou permissão pressupõe a prestação de serviço adequado ao pleno atendimento dos usuários, conforme estabelecido nesta Lei, nas normas pertinentes e no respectivo contrato”. O parágrafo primeiro diz que o serviço adequado é o que satisfaz as condições de regularidade, continuidade, eficiência, segurança, atualidade, generalidade, cortesia na sua prestação e modicidade das tarifas. Infelizmete isso não é o q acontece.

    ResponderExcluir
  2. Segundo consta das obrigações contratuais da CCR Via Lagos, a obra para a colocação de mureta é prevista somente para quando a rodovia atingir o fluxo médio de 20 mil veículos/dia. Fica a pergunta: Quem mede isso? A própria CCR?

    A Lei Federal nº 8.987/98 dispõe em seu art. 6º que “toda concessão ou permissão pressupõe a prestação de serviço adequado ao pleno atendimento dos usuários, conforme estabelecido nesta Lei, nas normas pertinentes e no respectivo contrato”. O parágrafo primeiro diz que o serviço adequado é o que satisfaz as condições de regularidade, continuidade, eficiência, segurança, atualidade, generalidade, cortesia na sua prestação e modicidade das tarifas.Infelizmente isso não acontece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito importante a sua elucidação. Obrigada Rosana.

      Excluir
  3. Acidente terrível. Nossos motoristas estão cada vez mais doidos. Muitos nem se preocupam em fazer manutenção em seus veículos. O brasileiro precisa mudar sua cultura e aprender a respeitar limites e cumprir obrigações. O que provocou o acidente não foi a ausência da mureta, mas sim um somatório de eventos/fatores. Nossos políticos não estão preocupados em melhorar a educação, mas nós devemos mudar essa vergonha. Infelizmente o brasileiro é um povo corrupto. A corrupção existe em todo lugar, mas em nosso país é um absurdo.

    ResponderExcluir