sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Balanço Policial desta sexta-feira na Região dos Lagos


Ana Lúcia de Oliveira

Terror da bandidagem não para e 
apreende mais drogas na Boca do Mato

Policiais levaram drogas para a delegacia/ Foto: PM
O tráfico de drogas não tem folga. Ainda mais quando as patamos Alfa e Bravo, respectivamente, Terror da bandidagem e Patamo dos Bravos, estão nas ruas de Cabo Frio. Na manhã de ontem, as guarnições apreenderam grande quantidade de drogas na Boca do Mato. A primeira foi na manhã de quinta-feira, dia 5, no Beco da Colômbia, quando os policiais apreenderam 300 cápsulas de cocaína, 300 pedras de crack, 100 trouxinhas de maconha e R$ 150 em dinheiro, que estavam com Breno da Silva Lopes, 19, que foi preso em flagrante. 

Mais tarde, no mesmo local, os policiais encontraram num terreno baldio mais 60 cápsulas de cocaína, 80 trouxinhas de maconha. Desta vez ninguém foi preso. Os policiais militares estimam que a retirada dessa quantidade de drogas, que abasteceria todo o tráfico da Boca do Mato e Rainha da Sucata, representa prejuízo de R$ 20 mil aos traficantes. Todo o material apreendido foi levado para a 126ª DP (Cabo Frio).

Leia também: 

Mulher é presa por furto no Jardim Excelsior

Ana Paula de Assis Amâncio, 40, foi presa na tarde de ontem. Ela é suspeita de furtar lojas na região do Jardim Excelsior, em Cabo Frio. De acordo com a ocorrência policial, a guarnição do sargento Souza foi acionada para atender um caso de furto em estabelecimentos comerciais. Com as descrições dos comerciantes, os policiais saíram em diligência e encontraram Ana Paula, na Avenida Central. Na abordagem policial foram encontrados com ela várias roupas ainda com etiquetas, que foram reconhecidas pelos lojistas como sendo furtadas. Ana Paula foi detida e levada para a 126ª DP (Cabo Frio), onde foi reconhecida e autuada no artigo 155, furto. Ela permanece detida.

PM apreende drogas na Praia Grande

A guarnição do sargento Carneiro apreendeu várias drogas no bairro Praia Grande, em Arraial do Cabo. Os policiais chegaram ao local, após receberem denúncia anônima, informando a existência de drogas numa casa no Beco do Mansur. Ao chegarem no local, os policiais encontraram 51 tabletes de maconha, 21 trouxinhas de maconha, 20 cápsulas de cocaína, balança de precisão e três potes de pó royal, utilizado para a mistura da cocaína. Todo o material foi levado para a 132ª DP (Arraial do Cabo).


Justiça concede habeas corpus para falso federal

Bruce foi solto na tarde de quinta, dia 5. Foto: Facebook
A Justiça concedeu a liberdade  para Bruce Barros Teixeira, 37, morador de Arraial do Cabo, acusado de se passar por agente da Polícia Federal. Ele foi solto por uma decisão do juiz federal José Carlos da Frota Matos e já está em casa.

Bruce foi preso na última segunda-feira (2) em uma operação da Delegacia da Polícia Federal em Macaé. De acordo com a PF, Bruce Barros Teixeira era monitorado desde maio deste ano. Ele teria publicado fotos em uma rede social usando o distintivo da Polícia Federal. Ele foi acusado de usar o falso cargo para ganhar vantagens em estabelecimentos comerciais de Arraial do Cabo. Na casa dele, foram encontrados dois revólveres calibre 38, duas espadas, carteira com o distintivo da PF e material para embalar droga.

O advogado Pedro Pinto, responsável pela defesa de Bruce Teixeira, alega que os objetos apreendidos que contém o símbolo da PF são "meramente decorativos". Segundo ele, o cliente jamais teria se passado por agente da instituição.

"Conseguimos a liberdade provisória porque ele é réu primário, tem residência fixa e trabalho definido. Além disso, estamos mostrando que os objetos que ele tinha em casa são meramente decorativos, e ele jamais usou esses objetos para se beneficiar. No momento da prisão, ele não foi flagrado usando nenhum desses objetos e não há testemunhas que mostrem isso", afirmou o advogado.

Leia também:
http://reporterrenatacristiane.blogspot.com.br/2013/09/falso-policial-federal-e-preso-em.html

Dona de academia em Tamoios é acusada 
de aplicar silicone industrial em alunas

A dona de uma academia de ginástica, em Tamoios, segundo distrito de Cabo Frio, será ouvida pela Polícia Civil. Ela está sendo acusada de aplicar silicone industrial nas alunas que frequentavam a academia dela, de forma totalmente irregular. A denúncia partiu de uma das vítimas, que teria pago para a empresária aplicar o silicone nas nádegas. Ela ficou totalmente deformada e precisou de passar por uma cirurgia de emergência para consertar o estrago causado pelo silicone. 

Para os agentes da Polícia Civil, ela contou que o mesmo aconteceu com outras alunas da academia, que por vergonha e medo da dona do estabelecimento, não denunciaram o caso ainda. A vítima revelou ainda que a empresária a ameaça as alunas, inclusive ela, para que os casos não venham a público. 

O nome da dona da academia, assim como o da vítima que denunciou o caso, não foram revelados pela polícia. Caso seja confirmado que a empresária tenha aplicado silicone industrial em outras mulheres, a mesma poderá responder por lesão corporal, curandeirismo e exercício ilegal da medicina. O caso segue sob investigação na 126ª DP (Cabo Frio).

Nenhum comentário:

Postar um comentário